ESPERANÇA: ‘CONTRA A DITADURA, TORTURA E PRISÕES, AS FORÇAS DEMOCRÁTICAS ESTÃO NA ARENA’

Em manifesto, ativistas organizados pelo Fórum21 chamam sociedade para defender a democracia contra o ódio. “Com o apoio de todos e de cada um de nós, a vitória está a seu alcance”


Ativistas organizados no Fórum21 divulgaram um manifesto em defesa da liberdade e contra o avanço da extrema-direita no Brasil. “A batalha do segundo turno já começou. Fizeram o impossível para evitá-la. Moveram mundos e fundos. Máquinas de mentiras, virtuais ou não. Em vão. As forças democráticas estão na arena”, afirmam, sobre a disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).
O coletivo clama por justiça no processo eleitoral. Exige que o exército de fãs de Bolsonaro deixe de lado suas táticas sujas de produção massiva de mentiras, além da disseminação do discurso de ódio. “Mobilizaram uma máquina de calúnias e difamação de tamanho e sofisticação inéditas para disseminar junto aos mais crédulos e inseguros a imundice produzida pelo cérebro de seus aprendizes e feiticeiros. E tiveram algum resultado, canalizando votos de muitos dos que estão desesperados em busca de rumo.”
O texto afirma que ainda há esperanças e que derrotar a escalada do fascismo é possível por meio das urnas no dia 28 de outubro. “Com o apoio de todos e de cada um de nós, a vitória está a seu alcance”, mesmo em oposição ao discurso dos partidários da extrema-direita, que bradam vitória. “A euforia momentânea do chamado mercado e as declarações falsamente seguras de seus representantes políticos de ocasião parecem negar tal possibilidade. Mas a decepção estampada no olhar nervoso do candidato da extrema-direita desmente a encenação de força.”
Mesmo sob ataque diário da direita, representada também pela imprensa comercial, o campo popular está vivo na disputa de ideias na sociedade. É o que afirmam os ativistas. “Apesar de toda a barulheira das milícias do capitão, os partidos de esquerda e da centro-esquerda, atacados sem cessar pela imprensa conservadora, mantêm-se na luta, perdendo umas trincheiras mas ganhando outras. Aqueles que ruíram foram os partidos tradicionais da direita, substituídos agora por arrivistas do passado comprometedor.”
Por fim, o Fórum21 argumenta que “a luta agora não é de um candidato nem de um partido. É a luta de uma grande frente democrática. O povo brasileiro não quer a volta da ditadura, da tortura, das prisões, da censura, da superexploração do trabalho e da entrega do país a gigantes econômicos multinacionais. O povo clama, abaixo o medo, viva a esperança”.
Entre os signatários estão o músico Chico Buarque, o teólogo Leonardo Boff, os diplomatas Celso Amorim e Samuel Pinheiro Guimarães, a jurista Carol Proner, os economistas Leda Paulani e Marcio Pochmann, entre outros. O manifesto está disponível em forma de abaixo-assinado neste site.

Leia a íntegra:

A batalha do segundo turno já começou. Eles fizeram o impossível para evitá-la. Cercearam a campanha dos opositores, violando pela penúltima vez, a Constituição do Brasil, em sua promessa de garantia dos direitos fundamentais e da liberdade de imprensa. Mobilizaram uma máquina de calúnias e difamação de tamanho e sofisticação inéditas para disseminar junto aos mais crédulos e inseguros a imundice produzida pelo cérebro de seus aprendizes de feiticeiro. E tiveram algum resultado, canalizando votos de muitos dos que estão desesperados em busca de um rumo.

Moveram mundos e fundos. Máquinas de mentira, virtuais ou não. Meios de comunicação partidarizados. Judiciário a serviço do golpe e de seu candidato. Em vão. As forças democráticas estão na arena e, com apoio de todos e de cada um de nós, a vitória no dia 28 de outubro está a seu alcance.

A euforia momentânea do chamado mercado e as declarações falsamente seguras de seus representantes políticos de ocasião parecem negar tal possibilidade. Mas a decepção estampada no olhar nervoso do candidato da extrema direita desmente a encenação de força. A sua disposição reiterada de contestar o resultado das urnas nega as certezas que expõe da boca para fora. Ele e os seus sabem muito bem que o final está indefinido.

Motivos não faltam.

O voto no primeiro turno trouxe muitas surpresas. Mas, apesar de toda a barulheira das milícias do capitão, os partidos de esquerda e da centro-esquerda, atacados sem cessar pela imprensa conservadora, mantêm-se na luta, perdendo umas trincheiras mas ganhando outras. Aqueles que ruíram foram os partidos tradicionais da direita, substituídos agora por arrivistas de passado comprometedor. Agora vão para o confronto direto em condições muito mais desfavoráveis, com esse time.

As forças do atraso e do obscurantismo exploram a desgraça que elas próprias criaram. Inventaram o governo Temer e agora querem nos impor um programa Temer piorado. Violentaram o voto popular, tomaram as rédeas do país e o destruíram, venderam o patrimônio público, bloquearam a possibilidade de um desenvolvimento mais justo e democrático. Produziram insegurança e medo do futuro. E agora querem seduzir os eleitores vendendo a mentira de que o lobo raivoso deve ser eleito para cuidar das ovelhas.

A luta agora não é de um candidato nem de um partido. É a luta de uma grande frente democrática. O povo brasileiro não quer a volta da ditadura, da tortura, das prisões, da censura, da superexploração do trabalho e da entrega do país a gigantes econômicos multinacionais. O povo clama, abaixo o medo, viva a esperança.

Reiterando aquilo que já afirmava no primeiro turno, o Fórum 21 re,afirma o seu compromisso de empenhar-se pela unidade do campo democrático, declarando mais uma vez as grandes bandeiras de reconstrução do país.

– Revogar as medidas anti-povo do governo Temer.

– Enfrentar o desmonte do Estado.

– Retomar a soberania nacional sobre nossos recursos naturais e reconquistar o lugar do Brasil no novo cenário internacional, mediante uma política externa autônoma.

– Promover o desenvolvimento e a redução das desigualdades, com a democratização da propriedade da terra, o acesso à moradia, à saúde, à educação e à segurança, em todas as suas dimensões.

Mas nesse momento único que estamos vivendo é preciso fazer mais. Temos que envidar todo esforço na tarefa de convencer os que se abstiveram, votaram em branco ou anularam o seu voto a expressar de forma positiva seu descontentamento. Precisamos mostrar a eles – e aos eleitores que se deixaram seduzir na última hora pelo conto do vigário da extrema-direita – que o que está em jogo nesta eleição não é apenas a composição do próximo governo, mas o futuro da democracia no Brasil e nosso destino como nação.

O Brasil tem que ser governado pelo voto e pela vontade do povo, não de ditadores, usem a farda dos generais, a toga dos juízes ou o monopólio da comunicação.

Assinam

Agostinho Ramalho Marques Neto – Psicanalista e professor
Alexandre Hermes Dias de Andrade Santos – Jurista
Anivaldo Pereira Padilha – Presidente do Fórum 21
Aluisio Almeida Schumacher – Professor Ciências Sociais UNESP
Andrei Koerne – Professor de Ciência Politica da Unicamp
Antonio Carlos Lopes Granado – Economista
Antônio David – Doutor em Filosofia da USP
Antônio David Cattani – Vice-Diretor do Instituto Justiça Fiscal
Antonio Lassance – Cientista Polítco
Antonio Sergio Pires Miletto – Empresário
Arlete Moyses Rodrigues – Geógrafa Unicamp
Artur Machado Scavone – Jornalista
Aytan Sipahi – Médico
Benedito Tadeu César – Economista da UFRGS
Breno Altman – Jornalista
Bruno Konder Comparato – Cientista Político da UNIFESP
Candido Grzybowski – Sociólogo, Diretor do IBASE
Carlos Eduardo Fernandez da Silveira – Economi
Carlos Minc – Deputado Estadual do PT/RJ
Carlos Pinkusfeld Bastos – Economia da UFRJ
Carlos Roberto Tiburcio de Oliveira – Militante
Carol Proner – Professora de Direito da UFRJ
Cecilia Boal Thumim – Psicanalista
Celso Amorim – Embaixador
Chico Buarque de Holanda – Artista
Clemente Ganz Lucio – Sociólogo e Professor Universitário
Eder Bomfim Rodrigues – Jurista
Eduardo Fagnani – Professor de Economia da Unicamp
Elton Dias Xavier – Jurista
Eric Nepomuceno – Escritor
Ermínia Terezinha Menon Maricato – Arquitetura da USP
Fábio de Sá e Silva – Universidade de Oklahoma
Fábio Konder Comparato – Professor Emérito do Largo São Francisco
Fernando Gomes Morais – Escritor
Flavio Marinho – Jornalista e Dramaturgo
Flavio Scavasin – consultor e militante sócioambiental
Flavio Wolf Aguiar – Escritor, Jornalista e Professor da USP
Francisco Celso Calmon Ferreira da Silva – Jurista
Francisco César Pinto Fonseca – Cientista Político da FGV/SP
Giba Assis Brasil – cineasta e professor
Giorgio Romano – Professor da UFABC
Gisele Cittadino – Professora de Direito da PUC/RJ
Gisele Ricobom – Professora da UNILA e FND/UFR
Hamilton Pereira – Poeta
Helenita Sipahi – Médica
Igor Felippe – Jornalista e Militante político
Ione Gonçalves – Advogada
Jacques Távora Alfonsin – Advogado
Jason de Lima e Silva – Filosofia da UFSC
Jean François Germain Tible – Professor de
Jessé de Souza – Sociólogo e professor universitário
Jessica Ailanda Dias da Silva – Advogada
Jessie Jane vieira de Souza – Historiadora da UFRJ
João Feres Júnior – Diretor do IESP, UERJ
João Ricardo Dornelles – Jurista
Joaquim Calheiros Soriano – Militante
Joaquim Ernesto Palhares – Secretário Político do Fórum 21
Jorge Mattoso – Professor aposentado de Economia Unicamp
José Carlos Moreira da Silva Filho – Jurista
José Luiz Del Roio – Militante Político
José Sergio Gabrielli – Economista
Juliana Neuenschwander – Professora da UFRJ
Juliano Fiori – Escritor e Pesquisador
Ladislau Dowbor – Professor de Economia da PUC/SP
Larissa Ramina – Professora de direito da UFPR
Laura Tavares – Professora Universitária
Laurindo Leal Filho – ECA/USP
Léa Maria Reis – Jornalista
Leda Maria Paulani – Professora de Economia da USP
Leneide Duarte-Plon – Escritora e Jornalista
Leonardo Isaac Yarochewsky – Jurista e Professor
Leonardo Boff – Teólogo
Lidiane Soares Rodrigues – Professora de ciências Sociais da UFSCAR
Lincoln Secco – História da USP
Liszt Vieira – Doutor em Sociologia pelo IUPERJRJ
Luciano Rollo Duarte – Jurista
Luís Carlos Moro – Jurista
Luís Fernando Veríssimo – Escritor
Luiz Fernando Pacheco – Jurista
Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo – Prof. de Economia da Unicamp/Facamp
Magda Barros Biavaschi – Desembargadora aposentada do TRT4
Manoel Cyrillo – Militante Político
Marcelo Cattoni de Oliveira – Professor da UFMG
Marcelo Ridenti – Sociologia da Unicamp
Marcio Pochmann – Professor de Economia da Unicamp
Marcio Tenenbaum – Jurista
Maria Alice Vieira – Historiadora
Maria Arminda Nascimento – Socióloga
Maria da Conceição Tavares – Economista
Maria Inez Nassif – Jornalista
Maria Kopcak Granado – Professora aposentada
Maria Luiza Flores da Cunha Bierrenbach – Advogada
Maria Rita Garcia Loureiro Durand – Cientista Politica da FGV/SP
Maria Rita Kehl – Psicanalista
Maria Victória de Mesquita Benevides Soares – Sociologia da USP
Marilena Chauí – Professora Emérita de Filosofia da USP
Mauro Zilbovicius – Escola Politécnica da USP
Michel Plon, Psicanalista em Paris
Otaviano Augusto Marcondes Helene – Livre-docente em Física da USP
Pablo Gentili – Secretário Executivo CLACSO
Pablo Schwartz Frydman– USP
Paula Marcelino – Sociologia da USP
Paulo Kliass – Doutor em Economia Universidade de Paris
Pedro Paulo Zahluth Bastos – Professor de Economia da Unicamp
Pedro Rossi – Professor de Economia Unicamp
Prudente José Silveira Mello – Jurista
Reginaldo Carmello Correa de Moraes – Sociologia da Unicamp
Renata Tavares da Costa – Defensora Pública do Rio de Janeiro
Renato Afonso Thelet Gonçalves – Jurista
Renato Balbim – University Of California Irvine
Renato Ortiz – Sociologia da Unicamp
Ricardo Guterman – Socioólogo
Ricardo Lodi – Jurista
Ricardo Musse – Sociologia da USP
Róber Iturriet Avila – Professor de Economia da UFRGS
Roberto A. R. de Aguiar – Jurista
Roberto Saturnino Braga – Presidente do Centro Celso Furtado
Rosa Freire d’Aguiar – Jornalista e tradutora
Rosa Maria Marques – Professora de Economia da PUC/SP
Rubem Murilo Leão Rêgo – Professor de Ciência Política da Unicamp
Samuel Pinheiro Guimarães – Embaixador
Sebastião Velasco e Cruz – Professor de Ciência Política da Unicamp
Sergio Graziano – Jurista
Silvio Angrisani Caccia Bava – Jornalista
Solange Reis – Pesquisadora do OPEU – Observatório de Política dos Estados Unidos
Tânia Maria Saraiva de Oliveira – Advogada
Tatiana Carlotti – Jornalista
Tarso Genro – Ex-Ministro de Lula e ex-Governador do RGSUL
Venício Lima – Professor Emérito da UNB
Vera Soares – pesquisadora feminista e Professora aposentada da USP
Vicente Carlos Y Pla Trevas – Sociólogo
Walquiria de Leão Rêgo – Prof. de Ciência Política da Unicamp
Walter Lima Jr. – Cineasta
Walter Sorrentino – Direção Nacional do PCdoB
Wanja Carvalho – Advogada
Weida Zacaner – Advogada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s