Possibilidades de aborto poderiam ser ampliadas, diz o general vice-presidente.

Em declaração que confronta diretamente o bolsonarismo, especialmente com sua vertente fundamentalista, o vice-presidente, general Hamilton Mourão defendeu o direito de a mulher decidir livremente sobre o aborto. Foi em entrevista ao jornal O Globo. Para ele, em caso de estupro ou em situações nas quais “a pessoa não tem condições de manter aquele filho“, a mulher “teria que ter a liberdade de chegar e dizer ‘preciso fazer um aborto’“. A declaração é bombástica e deve abrir mais uma crise intestina no governo Bolsonaro.

Veja as perguntas do jornalista  e as respostas de Mourão sobre o assunto:

Como o senhor acha que tem que ser tratado dentro do governo os temas de gênero?

O governo tem que tratar de forma objetiva. É uma questão de saúde pública. Doenças sexualmente transmissíveis são uma questão de saúde pública. A questão do aborto também é algo que tem que ser bem discutido, porque você tem aquele aborto onde a pessoa foi estuprada, ou a pessoa não tem condições de manter aquele filho. Então talvez aí a mulher teria que ter a liberdade de chegar e dizer “ preciso fazer um aborto”.

Até mesmo nos casos em que a mulher não tenha condições de manter o filho?

– Minha opinião como cidadão, não como membro do governo, é de que se trata de uma decisão da pessoa.

O senhor acha que poderiam ser ampliadas essas possibilidades de aborto?

– Pessoalmente, eu acho que poderia.

Fonte: Brasil 247

Anúncios