Jereissati rebateu: “Você vai para a cadeia”; votação para a presidência da Casa sequer começou e sessão segue marcada pelo bate-boca.

Tumulto e ânimos acirrados marcam a eleição para a presidência do Senado nesta sexta-feira (1). Houve troca de ofensas entre os candidatos Renan Calheiros (MDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) e confusão causada pela senadora Kátia Abreu (MDB-TO), que pegou a pasta da condução dos trabalhos e recusou-se a devolvê-la a Davi Alcolumbre (DEM-AP), que preside a sessão.
Quando a votação sobre voto aberto ou fechado já se aproximava do fim, eclodiu uma briga entre Renan e Jereissati no Plenário. Renan avançou na direção do colega foi contido por seus pares. “Você não tem voto, seu merda”, disse o alagoano, ao que Jereissati respondeu: “Você vai para a cadeia”.
Na sequência, encerrada a votação, Kátia Abreu subiu na tribuna, exigindo que Alcolumbre, que também é candidato a presidir o Senado, cedesse a condução dos trabalhos ao senador mais velho, José Maranhão (MDB-PB). “Ele é candidato, ele não pode sentar aqui. O senhor não tem o direito de estar aqui. Chame o mais velho para presidir a sessão”, disse, tomando a pasta do senador.
O tumulto continuou, com a senadora já de volta ao Plenário, pedindo que ele abandonasse a condução da sessão e Alcolumbre pedindo a pasta de volta. “Não devolvo. Vem tomar”, respondeu a senadora, que ameaçou levar a sessão ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Mais tarde, Kátia e Renan subiram à tribuna e sentaram-se um de cada lado de Alcolumbre. No momento, Kátia Abreu continua sentada à mesa e sem devolver a pasta. Os senadores seguem debatendo e ainda não há acordo que permita dar continuidade à eleição.

Fonte: Revista Fórum

Anúncios