Esses últimos dias tenho escutado que os professores de história contam a história errada em relação a ditadura militar, pois bem, é preciso entender que o país de 1964 a 1985 viveu um contexto de guerra fria, onde o Brasil optou por ficar ao lado dos EUA, pois bem, a economia era outra, a expectativa de vida era outra, a mentalidade era outra, a imprensa era outra, não havia internet, redes sociais, muito menos contas abertas ou portal da transparência, a maioria da população vivia no campo, área rural, não havia tanto automóvel nas ruas, daí justifica muita coisa em relação a trânsito, legislação, mobilidade, infraestrutura.
É preciso entender que as mulheres, boa parte delas, eram donas de casa, a sociedade era mais machista que a de hoje, não adianta dizer que não havia crime, pois o próprio comando vermelho, surge dentro do presídio, as barbas dos militares, o mapa da fome ainda era mais acentuado, vejam as migrações de nordestinos para Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro já existiam guetos, favelas e pobreza.
A geração de pessoas que dizem não ter visto a ditadura é pelo simples fato de serem beneficiadas de alguma forma, um emprego, uma casa, um funrural, ou pelo fato de analfabetismo, funcional, formal, político e cultural, assim não tinham acesso a jornais da época, muitos não sabiam ler e escrever, não assistiam televisão, não tinha internet, e as pessoas que estudavam, tinha professores reprimidos pelo Estado, escola particular era para elite e formar elite, portanto professores sem politização, professores de história tinham como conteúdo, no máximo até a segunda Guerra mundial, e história do Brasil no máximo até JK, Jango nem pensar, portanto era fácil fazer proselitismo político.
Um país que proibia o biquíni e condecorava Che Guevara. Talvez nem todos sabem, mas veja a idade dos construtores de Brasília e faça uma matemática simples, eles tinham entre 15 e 25 anos de idade na média, ignorantes, sem perspectiva de vida, fugindo da seca e da pobreza. Pois nos interiores do país já não adiantava fazer muita coisa por lá já não tinha nada mesmo.
E quanto ao desfecho me pergunto: – se o povo gostava da ditadura, por que então os militares cederam o poder aos civis? Se eles estavam no poder por que se renderam? Sabe por que? Por que os EUA já haviam retirado tudo o que podia dos países que se alinharam a ele na Guerra Fria, não era mais interessante e ainda custava caro, as pessoas que não foram para rua, não foram por medo, por comodismo, por acharem que o Estado era bom para eles, afinal veja que a situação era ruim ao extremo e melhorou muito nas migrações, quem foi para rua era um povo letrado, muitos estudantes universitários, profissionais liberais, sindicalistas.
Hoje às forças armadas não possui mais a mesma infraestrutura, hoje policiais precisam prestar concurso público para ingressarem nos quadros de segurança pública, não se migra também de exército para PM, hoje tem internet, celular com câmera, câmeras de segurança nas ruas, a Guerra Fria acabou, não tem mais os EUA como ” paitrocinador”, daí dizem tiramos o Brasil do mal do comunismo, hora por que as pessoas que defendiam o comunismo eram inimigos? Só porque os EUA ditavam as regras? O comunismo não era uma facção criminosa e sim um sistema político e ideológico igual o capitalismo era, mas muitos foram perseguidos e mortos como criminosos, os movimentos de guerrilhas e de resistência são um texto a parte.
Hoje o acesso a informação mudou, as pessoas mudaram, as pessoas viajam, acompanham a vida parlamentar, vão para as ruas e se agrupam, um simples CPF é possível saber de toda vida da pessoa.
Portanto se você chegou até aqui e ainda acha que professores de história ensinam errado é por que seu caso é de procurar fontes confiáveis de leitura ou simplesmente uma terapia…
DITADURA NUNCA MAIS…
Um abraço.
Vitor Andrade
Professor de História
Anúncios