Definir Maçonaria é tarefa ingente, uma vez que a instituição define-se no dia a dia, dentro e fora das Lojas.
A definição mais comum pode ser: “instituição que tem por objetivo tornar feliz a humanidade, pelo amor, pelo aperfeiçoamento dos costumes, pela tolerância, pela igualdade e pelo respeito à autoridade e à religião“.
É evidente que as virtudes nomeadas, em qualquer terreno, prestam-se a redimir a humanidade.
No entanto, a definição é individual, vista por duas óticas: pelo próprio maçom procedendo a uma autocrítica; pelos não-maçons diante do comportamento individual do maçom.
Um deslize cometido por um maçom compromete a definição, uma vez que o não-maçom não compreende a instituição como um todo.
Logo, a responsabilidade individual torna-se relevante, e cada maçom, de per si, deve observar a si mesmo e conter os ímpetos distorcidos dos seus Irmãos.
Ser maçom não é apenas ser membro de uma Loja Maçônica, mas sim comprovar ter sido Iniciado.
Um autoexame periódico seria mais que conveniente.
Se cada um puder definir-se, o conceito de Maçonaria ressaltará para os profanos.

Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, – 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 117.

Anúncios