Ministros do STF já teriam admitido que o ministro da Educação poder ser preso por conta de seus constantes ataques à Corte
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira (15), um pedido de prisão preventiva ou temporária do ministro da Educação, Abraham Weintraub.
Alvo de inquérito que apurada fake news e ameaças às instituições, Weintraub, ao participar de uma manifestação antidemocrática no domingo (14), afirmou que já deu sua opinião sobre os “vagabundos” do STF. Na fatídica reunião ministerial de 22 de abril, o olavista, além de xingar os ministros, disse que os colocaria na cadeia.

Não se pode permitir, de forma alguma, qualquer tipo de ameaça contra a democracia e contra minorias. O ministro precisa se compor e aceitar que está sob a égide do Estado Democrático de Direito. Não há espaço para ameaças às instituições e à Constituição Federal”, diz Randolfe no pedido.

O requerimento, que pede ainda o afastamento de Weintraub do Ministério, cita também o fato de que ele é investigado por racismo em razão de uma postagem depreciativa contra os chineses.
Antes do pedido de prisão protocolado pelo senador do Amapá, a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, informou que ministros do STF já admitiriam que Weintraub pode ser preso e que teriam sido avisados por interlocutores de Jair Bolsonaro que o titular da Educação estaria com os dias contados no governo.

Fonte: Revista Fórum – Por Redação

Anúncios