Senhores,

Com todo o respeito, movido apenas pela curiosidade e pela surpresa, irei fazer algumas considerações.

Não há qualquer intenção de ataque ou crítica, mas apenas considerações sobre o entendimento que tenho da Maçonaria ante o fato, para mim inusitado, de ver Maçons pregando uma visão moderna e inclusiva de sociedade com um viés progressista.

Eu sou neto de maçons, meus dois avós eram mestres nas Lojas do Grande Oriente de Porto Alegre (RS) e Lages (SC).

Apesar disso, nem eu, nem meu pai, embora convidados, nunca aceitamos participar. Eu fui convidado, no mínimo, em três ocasiões das quais me recordo.

Não irei falar por meu pai, já falecido, mas minha experiência registra inúmeros fatos nada abonadores ao comportamento da Maçonaria.

Tráfico de influência e favorecimentos pessoais impróprios, posição autoritária, alinhamento a governos de exceção e conservadores foram fatos e circunstâncias que vivenciei e presenciei. Isso me manteve longe da Maçonaria e, ainda que conheça sua história e a contribuição de séculos à defesa do conhecimento humano, dos valores liberais (no sentido original) de liberdade, fraternidade e igualidade, do respeito ao indivíduo e aos seus direitos , penso que seu papel atual, ao menos naquilo que dela conheço por experiência direta, deixa-a muito distante do seu propósito declarado.

Gostaria muito de crer que os senhores, sobre quem nada sei, representem um “renascimento” e estejam em senda distinta, buscando recuperar o sentido pleno do que levou os maçons originais a criar a Maçonaria.

Cordiais saudações.

—————————————————————————-

NOTAS DO SITE:

Prezado Leitor:
Você tem toda razão.
Infelizmente os princípios doutrinários da Maçonaria vêm sendo deturpados nos último tempos, tendo em vista a invasão de “profanos de avental”, que apoderaram-se das organizações maçônicas, apenas com o intuito de utilizá-la para fins particulares e objetivos políticos “não declarados”.
Com certeza, nós que fazemos o Coletivo Maçons Progressistas do Brasil – MPB, estamos numa luta ferrenha para que a sã Maçonaria, não perca totalmente a sua essência e sua finalidade.
Somos minoria, é verdade, principalmente porque dos anos 60/70 pra cá o critério de admissão na Ordem passou a priorizar o TER em detrimento do SER, trazendo para o nosso seio, pessoas totalmente interesseiras e sem afinidade nenhuma com a filosofia de nossa Sublime Instituição.
Também é preciso dizer, que assim como não perdemos o Prumo, também no mundo exterior da Ordem, não maçons como você não perderam a dignidade e nem o bom senso de diferenciar o que é a boa plantação e o que é a erva daninha.
Existe nas Lojas Maçônicas bons homens, que mesmo não tendo um posicionamento político mais avançado dentro da sociedade, mesmo assim propugnam por uma Ordem mais Progressista e atuante, para fazer que a humanidade seja mais feliz. É em nome dessa bandeira e em respeito aos que assim a compreendem, que não desistiremos e continuaremos firmes em fazê-la voltar ao seu leito natural, que você tão bem descreveu.
Obrigado pelo contato, e pode ter certeza, que mesmo sem você ter sido iniciado em nossos mistérios, nós prazeirosamente o reconhecemos como Irmão.
Você e todos os não maçons que irmanadamente creem e lutam por um mundo melhor, onde reine verdadeiramente o império da Justiça Social, condição essencial para alcançarmos a LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE!
Fraternalmente,
MAÇONS PROGRESSISTAS DO BRASIL – MPB
Anúncios