Não acredite em tudo que lhe dizem. Até mesmo alguns maçons mais antigos, vez por outra saem com umas estórias esquisitas, insinuando que fulano ou sicrano são maçons. Já chegaram até a dizerem que Moisés, Noé e outras figuras lendárias seriam membros da Ordem.

Muitos não maçons também escrevem verdadeiras “pérolas” afirmando que Jesus era maçom. Alguns afirmam isto apenas para gracejar com a Ordem, outros apenas por pura ignorância sobre o tema.
Os primeiros documentos da maçonaria operativa ou de ofício são datados do século XIV e a Maçonaria tal qual a conhecemos hoje, chamada de Maçonaria especulativa, teve sua origem conhecida apenas no início do século XVII, portanto centenas de anos após a passagem de Cristo, o que torna muito hilário alguém afirmar que o Mestre do Cristianismo seria Maçom.
O maçom que afirma tamanha besteira, está precisando urgentemente estudar a História, doutrina e filosofia da Maçonaria.
Veja abaixo um artigo sobre o tema, depois faça uma reflexão e tire suas próprias conclusões.

JESUS CRISTO E A MAÇONARIA

Por Willian Guimarães Madeira
       No cristianismo primitivo existiam ritos nos quais haviam mistérios e iniciações aparentados com os processos maçônicos atuais. Muitos historiadores, depois de intensos estudos em fatos históricos, comprovam que JESUS CRISTO foi um dos iniciados nos mistérios essênios ou essênicos (Religioso do judaísmo).
OS ESSÊNIOS
Observem o alto grau de particularidades que aproximam a ordem maçônica dos essênios:
•    Os essênios constituíam uma comunidade monástica formada de antigos judeus de antigas eras bíblicas;
•    Tinham costumes e reuniões muito secretas, reservadas, numa comunidade muito fechada a estranhos ou profanos. Por ter sido tão secreta e reservada torna-se difícil esclarecer muita coisa dessa sociedade e dos mistérios e segredos de seu ministério.
•    Filon de Alexandria, Plínio, o Velho e Flávio Josefo têm o seguinte relato:
Os essênios tinham certas particularidades que os separavam dos demais:
1.    Eram de suas tradições renunciar ao matrimônio, e, mantinham-se ao celibato;
2.    Não admitiam bens pessoais, apenas bens comuns a todos;
3.    Aconselhavam a virtude da pobreza com base para alcançar a glória eterna;
4.    Viviam da agricultura como garantia de paz e remédio contra a fome, bem como de artes mecânicas próprias daquele tempo;
5.    Os essênios espalhavam-se em comunidades por várias regiões da Judéia e do Egito, dispunham de sinais convencionais e palavras rituais para se reconhecerem mutuamente, permitindo assim a mais pacífica intercomunicação comunitária.
6.    Dividiam-se em 4 classes;
7.    Se o indivíduo tivesse interesse em ingressar na comunidade, o mesmo era investigado discretamente (sindicância) e submetia-se a 3 anos de provas muito rígidas;
8.    Quando o candidato era aprovado na vida monástica, recebia um avental branco e um martelo. Ambos eram símbolos do trabalho e da cooperação associativa;
9.    Suas reuniões eram semanais;
10.    Cada membro da Ordem tinha um lugar apropriado para sentar-se de acordo com o direito de antiguidade;
11.    Havia o ritual com um sinal: a mão direita espalmada colocada sobre o peito alguns centímetros abaixo da barba e a mão esquerda mais abaixo, ao nível das últimas costelas. Muitos comentadores maçônicos vêem na posição da mão direita analogia com o sinal de ordem de uma Loja em funcionamento; e
12.    Não eram admitidas na Ordem mulheres.
•    Analogia entre a Maçonaria e os Essênios:
1.    Juramento: Após serem aceitos, juravam servir a DEUS fielmente. Ser justos com seus semelhantes, ser verdadeiro, preferir perder a vida que revelar a profanos os sinais e palavras rituais, não admitiam escravidão;
2.    Segundo os historiadores Jesus Cristo e São João Batista foram iniciados na comunidade Essênica. Quando as sagradas escrituras silenciam a respeito da vida de Jesus Cristo após o debate com sacerdotes no interior do templo até a sua morte. Existe uma corrente que diz que Jesus Cristo vivia neste período no meio de mestres essênios, homens sábios, justos e perfeitos na batalha incruenta da luta do bem pelo bem e do amor pelo amor, da justiça pela justiça, no conjunto de doutrinas ungidas do mais suave humanismo predicando o abandono das riquezas pessoais pelas virtudes das ações, o desprezo à comodidade pelo sacrifício em louvor a um DEUS Uno e poderoso que chamaria ao seu reino os limpos de coração e puros de almas livres do pecado e dos maus pensamentos; e
3.    Fazendo um parâmetro entre a maçonaria e os essênios vê-se que ambos muito têm em comum. O que de certa forma afirma ter sido Jesus Cristo maçom de sua época.
Anúncios