Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação critica nome que Bolsonaro escolheu para chefiar MEC


Jair Bolsonaro convidou o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para comandar o Ministério da Educação a saída às pressas de Abraham Weintraub e a demissão de Carlos Decotelli, que nem chegou a ser empossado, devido ao escândalo em relação a informações falsas em seu currículo.
O nome de Feder já tinha sido levado em conta pelo governo federal antes, mas teria sido descartado por estar entre os maiores doadores da campanha de João Doria para o governo do estado de São Paulo, nas últimas eleições. Feder já tem defendido o fim do MEC e a privatização de toda a educação pública.

 Renato Feder é tudo o oposto do que nós da escola pública defendemos 

Para falar sobre a escolha, o Jornal Brasil Atual Edição da Tarde, convidou Marlei Fernandes de Carvalho, vice-presidenta da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação). Marlei é professora no Paraná e conhece bem o próximo chefe da pasta de Educação.
A nossa avaliação é bastante crítica porque o secretário da Educação do Paraná, Renato Feder, agora indicado a ministro, tem uma relação muito forte com o empresariado, pouca ação no serviço público e na defesa da educação pública, pelo contrário, ele defende a privatização de toda a educação pública, ele é contra o MEC, tudo o oposto do que nós da escola pública defendemos“,

Confira a entrevista completa e todos os destaques no áudio abaixo.

O Jornal Brasil Atual Edição da Tarde é uma produção conjunta das rádios Brasil de Fato e Brasil Atual. O programa vai ao ar de segunda a sexta das 17h às 18h30, na frequência da Rádio Brasil Atual na Grande São Paulo (98.9 MHz) e pela Rádio Brasil de Fato (online). Também é possível ouvir pelos aplicativos das emissoras: Brasil de Fato e Rádio Brasil Atual.

Edição: Mauro Ramos