Nos Templos Maçônicos, todos sabemos que são proibidas discussões de cunho político-partidário e de proselitismo religioso, mas os Grupos de Peças de Arquitetura não é um Templo, não é mesmo? Então, apesar de serem evitadas discussões políticas, tenho visto por aqui inúmeras postagens que me parecem ser de proselitismo religioso.

Pois bem, este autor é Maçom de filosofia Deísta, ou seja, acredita num Princípio Criador, no Grande Arquiteto do Universo, não interferente nos assuntos naturais e humanos, como ocorre nas religiões denominacionais, nem em escrituras consideradas “inspiradas por Deus”, pois todas foram escritas por seres humanos e de acordo com a mentalidade da época e sem os conhecimentos técnicos e científicos que dispomos atualmente.
Para os Deístas, tudo o que ocorre é resultado de leis naturais e científicas (criadas pelo GADU) e por nossas ações ou inações (nosso livre arbítrio).
Sabemos todos que os livros canônicos do Novo Testamento abordam apenas superficialmente a infância e a juventude de Jesus, mas algumas escrituras rejeitadas, os denominados apócrifos, embora tenham sido queimados pela Igreja, algumas versões sobreviveram e a seguir apresentamos alguns excertos desses apócrifos abordando a infância de Jesus:
Jesus foi quem reformou a Lei de Talião judaica, a lei da vingança, do “olho por olho, dente por dente”, pregando a lei do amor e do perdão, oferecendo a outra face para ser esbofeteada. Todavia, quando criança, parece que ainda não pensava assim. Recolhemos algumas maldades contadas nos Apócrifos:
(1) LIVRO DA INFÂNCIA DO SALVADOR: “De novo aconteceu em um dia de semeadura que Jesus ia atravessando a Ásia e viu um lavrador que semeava certa espécie de legume chamado grão-de-bico, em uma propriedade próxima ao túmulo de Raquel, entre Jerusalém e Belém. Jesus lhe disse: ‘Homem, que estás semeando?’ Mas ele, com raiva e zombando do fato de que um jovem daquela idade lhe fazia tal pergunta, respondeu: ‘Pedras’. E Jesus, por sua vez, lhe disse: ‘Tens razão, porque efetivamente são pedras’. E todos aqueles grãos-de-bico transformaram-se em duríssimas pedras, que ainda conservam a forma de grãos-de-bico, a cor, bem como o pequeno olho na cabeça. E desta maneira todos aqueles grãos, tanto os já semeados quanto aqueles que iriam ser semeados, transformaram-se em pedras. E até hoje, procurando-as com cuidado, pode-se encontrar as tais pedras nesse campo”
(2) EVANGELHO DE TOMÉ (capítulo 5:1): “José chamou Jesus à parte e o admoestou da seguinte maneira: “Por que fazes tais coisas, se elas se tornam causa de eles nos odiarem e perseguirem?’ Jesus replicou: ‘Bem sei que estas palavras não vêm de ti. Mas calarei por respeito à tua pessoa. Esses outros, ao contrário, receberão seu castigo’. E no mesmo instante aqueles que haviam falado mal dele, ficaram cegos”.
(3) EVANGELHO ÁRABE DA INFÂNCIA (capítulo 66): “Um outro dia, o Senhor Jesus brincava na beira do rio com outras crianças, e eles haviam cavado pequenas valas para fazer escorrer a água, formando assim pequenas poças. O Senhor Jesus havia feito doze passarinhos de barro, e os havia colocado ao redor da água, três de cada lado. Era um dia de Sabbath, e o filho de Hanon, o Judeu, veio e vendo-os assim entretidos, disse-lhes: ‘Como podeis em um dia de Sabbath fazer figuras com a lama?’ E ele se pôs a destruir tudo. E quando o Senhor Jesus estendeu as mãos sobre os pássaros que havia moldado, eles saíram voando e cantando. Em seguida, o filho de Hanon, o Judeu, aproximou-se da poça cavada por Jesus para destruí-la, mas a água desapareceu, e o Senhor Jesus disse-lhe: ‘Vê como esta água secou; assim será com a tua vida’. E a criança secou”
(4) EVANGELHO ÁRABE DA INFÂNCIA (capítulo 67): “Um outro dia, o Senhor Jesus voltava à noite para casa com José, quando uma criança passou correndo na sua frente e deu-lhe um golpe tão violento que o Senhor Jesus quase caiu, e ele disse a esta criança: ‘Assim como tu me empurraste, cai e não te levantes mais’. E no mesmo instante, a criança caiu no chão e morreu
(5) EVANGELHO ÁRABE DA INFÂNCIA (capítulo 69): “Conduziram-no em seguida a um professor mais sábio, e assim que o viu: ‘Dize Aleph’, pediu-lhe ele. E quando ele disse Aleph, o professor pediu que pronunciasse Beth. E o Senhor Jesus respondeu-lhe: ‘Dize-me o que significa a letra Aleph, e então eu pronunciarei Beth’. O mestre irritado levantou a mão para bater nele, mas sua mão secou imediatamente, e ele morreu. Então José disse a Maria: ‘Daqui por diante, não devemos mais deixar o menino sair de casa, pois qualquer um que se oponha a ele é fulminado pela morte
(6) Escapou da censura da Igreja mais uma outra, que se pode encontrar (confira na sua Bíblia) no EVANGELHO DE MARCOS (11:13-14): “13. Ao ver, à distância, uma figueira coberta de folhagem, foi ver se acharia algum fruto. Mas nada encontrou senão folhas, pois não era tempo de figos. 14. Dirigindo-se à arvore disse: Ninguém jamais coma do teu fruto.” Já adulto também amaldiçoou a figueira, por não ter os frutos que desejava.

Irm.’. Almir Sant’Anna Cruz

Anúncios