Bolsonaro diz que reação da PF a interferência na corporação é ‘babaquice’

Em plena ação para centralizar poderes e interferir em órgãos do governo, Jair Bolsonaro afirmou é necessário arejar o comando da Polícia Federal e chamou de “babaquice” a reação de integrantes da corporação às declarações dele sobre trocas em superintendências e na diretoria-geral

Em declarações à Folha de S.Paulo na terça-feira (3), Bolsonaro deixou claro que já acertou com o  ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro sobre uma possível mudança na direção da PF, ficando pendente o prazo: “Está tudo acertado com o Moro, ele pode trocar [o diretor-geral, Maurício Valeixo] quando quiser.”

Jair Bolsonaro e Sergio MoroJair Bolsonaro e Sergio Moro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

E comparou a troca do diretor-geral da PF à troca de esposa: “Mais difícil é trocar de esposa. Eu tive uma conversa a dois com o Moro…[O diretor-geral] tem que ser Moro Futebol Clube, se não, troca. Ninguém gosta de demitir, mas é mais difícil trocar a esposa. Eu demiti o Santos Cruz, com quem tinha uma amizade de 40 anos”, disse.
O ocupante do Palácio do Planalto disse que o nome do delegado Anderson Gustavo Torres, atual secretário de Segurança do Distrito Federal, é seu favorito para assumir a PF, também apoiado pelo ex-deputado federal e também delegado Fernando Francischini.

Conheça a TV 247

Anúncios