Durante sua carreira política no baixo-clero só se conhecia a faceta nazista do então deputado Jair Bolsonaro que se manifestou em várias declarações a jornais, TVs e revistas nas quais se confessou favorável a tortura, a matar mais de 30 mil brasileiros, incluindo o então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, para melhorar o país, não se importou em ser comparado a Hitler e expôs em praça pública seu racismo, sua misoginia e sua homofobia como jamais se viu antes na história recente brasileira, provocando indignação e repúdio.
Anúncios