Advogado que escondeu Fabrício Queiroz em Atibaia (SP), Frederick Wassef, que defendia Flávio Bolsonaro, esteve no Palácio do Planalto mais de dez vezes fora da agenda entre outubro do ano passado e junho deste ano. A confirmação foi dada pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comandado pelo general Augusto Heleno.


Wassef é proprietário do imóvel onde a polícia prendeu Fabrício Queiroz em Atibaia (SP), no dia 18 de junho. Queiroz assessorava o parlamentar na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde ele cumpria mandato de deputado estadual antes de ser eleito senador.
Em pelo menos outras três oportunidades, Wassef foi autorizado por assessores lotados no gabinete pessoal de Bolsonaro a entrar no Palácio do Planalto. Em outros dias, a entrada era autorizada por servidores lotados na Secretaria de Governo, na Secretaria Geral e na Secretaria de Comunicação, além do GSI, comandado pelo general Augusto Heleno.
Em dois casos, a visita foi noturna, e Bolsonaro não tinha agenda oficial no horário em que o advogado esteve no prédio. Na maioria das visitas, Wassef estava no Planalto em horários nos quais a agenda de Bolsonaro mostrava reuniões com ministros e embaixadores.
(Foto: Abr | Reprodução)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.